Portal da Cidade Andradas

Canção para homenagear Andradas pelos 127 anos cai no gosto popular

A letra composta por David França agradece a cidade que tão bem o recebeu e também ao seu irmão Gilmar. “Andradas nos adotou como filhos”.

Postado em 18/02/2017 às 07:48

David e Gilmar gravam homenagem com Anderson Martins (Foto: Gilmar França)

“Caracol ou Samambaia, o teu nome tanto faz, te amei tão pequenina hoje amo muito mais. Se a serra lhe protege, és a minha proteção, levo Andradas no meu canto e dentro do meu coração”. Assim é o refrão da canção composta pelo músico David França para homenagear Andradas pelos seus 127 anos que serão comemorados no próximo dia 22. A letra compara com uma mãe amorosa que adota uma criança a forma como a cidade o recebeu (e também ao seu irmão Gilmar quando chegaram aqui vindos de Boa Esperança). “Eu sempre tive este desejo de fazer uma homenagem para Andradas. Entre 81 e 83 compus três sambas-enredos para as escolas da época. Em 99 compus o hino do Rio Branco. Então tá sempre surgindo ideias relacionadas ao bem que Andradas fez pra mim e pro Gilmar, pra nossa família”, conta o agradecido David.

Os irmãos chegaram pequenos a cidade, se adaptaram e foram totalmente integrados. Cresceram, casaram, tiveram filhos, desenvolveram suas profissões e até hoje mantêm a dupla que tem tantos admiradores. Graças ao amor pela música construíram, ao custo de muito esforço, um dos maiores festivais da canção do interior do país. Receberam títulos de cidadãos andradenses e, de fato, são andradenses. “O David fez a letra e a melodia. Foi um prazer e uma alegria muito grande participar deste trabalho que ele fez, uma canção como forma de reconhecimento de tudo o que Andradas fez por nós desde 1980, uma cidade que nos acolheu de braços abertos. Andradas nos adotou como filhos”, reconhece Gilmar França.

Para gravar a canção e se juntar a dupla o músico Anderson Martins foi convidado por ter nascido em Andradas, ele que tem se destacado em vários festivais por onde se apresenta. “Um prazer imenso poder participar de uma homenagem a Andradas, principalmente por ter sido feita por dois grande artistas que vieram para cá e fazem a diferença, eles defendem a boa música. David, além de tudo, é um grande pintor e um compositor de sensibilidade, fez uma música tão tocante como esta, uma música que além de tudo é muito gostosa de tocar e cantar”, relata o jovem Anderson que ainda diz dever muito do bom momento que vive nos palcos aos irmãos. “Quando comecei a tocar e cantar eu tentava entrar no Festival da Canção e não conseguia, minhas músicas não eram do nível do Festival, então eu recebi bastante orientação do Gilmar França e hoje faço parte deste time, faz vários anos que estou lá e me sinto um grande premiado por ter sido convidado para participar de uma homenagem a cidade onde nasci”.

Apesar de gravada agora, no início de fevereiro, a canção foi escrita em novembro passado. David conta ter desejado compor melodia simples, a serviço de uma harmonia “não muito sofisticada”. O resultado final é uma canção popular, com raízes muito bem estabelecidas que remetem ao passado da dupla, com um refrão que cativa o ouvinte. Refrão do nível daqueles que ouvimos no Festival da Canção? David diz que não. “A música tem um refrão forte que vai ficar na cabeça das pessoas. Ela é bem inferior as músicas que são apresentadas no Festival da Canção. Eu sou ‘músico prático’, não tenho formação musical como o Gilmar, então procurei fazer de uma harmonia bem simples pras pessoas terem uma rápida assimilação. E fazer o simples é difícil, mas o simples é aquilo que cativa, se cativou e caiu no gosto das pessoas é motivo de felicidade”.

E como caiu no gosto popular! Poucas horas após ser levado ao público por meio das redes sociais o número de visualizações ultrapassava os três mil, com centenas de comentários, likes e compartilhamentos. Realmente, o povo gostou! “Eu não esperava que fosse ter tanta repercussão, esta situação deixou a gente satisfeito porque tudo foi feito de coração, com muita sinceridade”, realça David.

Para quem quiser conhecer a música basta acessar o vídeo acima. Com ela, Andradas, tantas vezes homenageada, ficou ainda mais rica. Aliás, filho é quem cria, não é mesmo? E muitas vezes são os “adotivos” que amparam os pais em suas necessidades, como já diz Sérgio Reis na canção “Filho Adotivo” eternizada por ele. “Eu não tenho pretensão que esta homenagem vire um hino não, simplesmente é uma daquelas músicas compostas por aqueles que amam a cidade. Durante o [próximo] Festival da Canção será interessante a gente abrir o evento cantando esta música”, planeja David.

O Festival da Canção de Andradas terá em 2017 sua 19ª edição e acontece entre 25 e 27 de maio no Clube Rio Branco. No total, serão distribuídos mais de 27 mil reais em premiações. As inscrições se encerram em 20 de abril. 

CARACOL FOREVER 

Quando te avistei da serra
Semelhante a um caracol
Numa estrada sinuosa
A neblina era um lençol
Era Andradas nos meus olhos
Refletindo a emoção
Do final de uma espera
Como filho pra adoção

Eu deixei pra trás a mágoa
Do passado tão incerto
Como pai ou mãe recebem
Sempre de braços abertos
Todo dia era de sonho
De setenta os derradeiros
Madrugada em serenata
Com amigos verdadeiros

Caracol ou Samambaia
O teu nome tanto faz
Te amei tão pequenina
Hoje amo muito mais
Se a serra lhe protege
És a minha proteção
Levo Andradas no meu canto
E dentro do meu coração

Fonte: Portal da Cidade Andradas | Por repórter Sandro de Pontes

Deixe seu comentário