Portal da Cidade Andradas

EM DISCUSSÃO

Câmara recebe grande público para Audiência sobre Contribuição de Iluminação

Moradores lotaram auditório para ouvir propostas para cobrança da CIP para os proprietários rurais

Postado em 20/08/2019 às 16:00 |

Proprietários de terrenos sem construção deverão pagar taxa (Foto: ACS/Câmara de Andradas)

Mais de 200 pessoas acompanharam a audiência pública para debater a cobrança da CIP - Contribuição de Iluminação Pública - promovida pelo Poder Executivo em parceria com o Legislativo Municipal. O objetivo foi esclarecer dúvidas e apresentar propostas quanto à cobrança da CIP para os proprietários rurais que passou a ser inserida nas contas de energia elétrica da zona rural com a aprovação da Lei Complementar 187/2018.

O prefeito Rodrigo Lopes explicou todo o processo legal para a cobrança da CIP no município de Andradas. Esclareceu que recebeu um abaixo-assinado pedindo a retirada da cobrança da zona rural e uma proposta de alguns vereadores solicitando a possibilidade de encaminhar projeto de lei alterando a Lei Complementar 187/2018, contendo, em seu novo texto a isenção da referida contribuição para os proprietários de imóveis da zona rural e, em contrapartida, que a diferença dos valores isentados seja cobrada dos terrenos da cidade onde não haja construções. A proposta foi assinada pelos vereadores Marcio Teodoro, Carlos Roberto da Silva, Guto Liparini, Leila Candido e Maria Helena de Oliveira do Prado.

Diante disso, apesar de estar cumprindo uma norma legal, a Prefeitura e a Câmara decidiram apresentar a proposta para ser discutida em audiência pública, após estudos que apontam que o município de Andradas tem 5.173 terrenos dos quais são cobrados no carnê do IPTU o valor de R$ 17,00 por ano de iluminação pública por terreno.

A proposta é instituir um valor de R$ 12,00 por mês para cada terreno o que geraria uma receita mensal de R$ 62.076,00 e uma receita anual de R$ 744.912,00. A arrecadação mensal com a CIP rural varia entre 40 e 50 mil reais. O valor passaria a ser instituído a partir de janeiro de 2020 e a zona rural ficaria efetivamente isenta da CIP que passaria ao IPTU dos terrenos até a construção.

Diversas pessoas manifestaram opiniões quanto ao sistema de cobrança da CIP e ao final houve a votação das duas propostas prevalecendo a isenção da taxa para a zona rural. O prefeito Rodrigo Lopes informou que encaminhará à Câmara Municipal projeto de lei para ser analisado e votado.

Fonte:

Deixe seu comentário