Portal da Cidade Andradas

Andradas
128 anos

História de Andradas - MG

O povoamento que gerou a cidade de Andradas teve início no final do século XVIII e começo do século XIX (período da corrida pelo ouro, recém descoberto na região central do Estado), mas o crescimento populacional se concentrou no final do século XIX e começo do século XX, em função da chegada de imigrantes estrangeiros, vindos das fazendas de café, sobretudo de São João da Boa Vista/SP, uma das cidades vizinhas. Os imigrantes italianos foram os mais numerosos, mas também vieram espanhóis, gregos, libaneses, alemães, suecos e portugueses. Na década de 20, o topônimo Caracol foi alterado para Andradas, em homenagem ao ex-governador do Estado, Antônio Carlos Ribeiro de Andrada, natural de Barbacena. A cidade, na década de 50, juntamente com outras cidades mineiras, tentou se ligar, jurisdicionalmente, a São Paulo, haja vista que a cidade é bem mais próxima de São Paulo e de outros centros maiores (paulistas) que mineiros.

Histórico

Data de 1790 a ocupação do território de Andradas. Felipe Mendes do Prado e o Guarda-Mor Antonio Rabelo de Carvalho, explorando outras regiões, atravessaram o rio das Antas, cruzaram a cachoeira Grande Córrego do Tamanduá e foram fixar-se às margens do Córrego do Cipó, um à margem direita e outro à margem esquerda, com o gado que traziam de Baependi, onde eram fazendeiros.

A serra, seu principal acidente geográfico, deu origem ao nome Caracol.

O nome Andradas veio da homenagem que a cidade prestou a Antonio Carlos Ribeiro de Andrada, Governador do Estado de Minas Gerais.

Em 1848, foi feita a doação, por Candido José Mendes, de um alqueire de terra ao patrimônio da igreja.

Anos após, com a abolição da escravatura, Andradas recebeu os primeiros colonos italianos, a maioria dedicada à viticultura, ramo que mais tarde conferiu ao município a posição de bom produtor de vinho do país.

Distrito criado com a denominação de São Sebastião de Jaguari, pela lei provincial nº 1098, de 07-10-1860, e pela lei estadual nº 2, de 14-09-1891. Elevado à categoria de vila com a denominação de Caracol, pela lei estadual nº 3656, de 01-09-1888, desmembrado de Caldas. Sede na povoação de São Sebastião do Jaguari. Constituído do distrito sede. Instalado em 22-02-1890. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, a vila de Caracol é constituído do distrito sede. Elevado à condição de cidade com a denominação Caracol, pela lei estadual nº 893, de 10-09-1925. Pela lei estadual nº 1035, de 20-09-1928, o município de Caracol passou a chamar-se Andradas. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município de Andradas (ex-Caracol) é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.

Pelo decreto estadual nº 148, de 17-12-1938, é criado o distrito de Grama e anexado ao município de Andradas. No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 2 distritos: Andradas e Grama. Pelo decreto-lei estadual nº 1058, de 31-12-1943, o distrito de Grama passou a denominar-se Gramínea.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 2 distritos: Andradas e Gramínea (ex-Grama). Assim permanecendo em divisão territorial datada de 31-XII-1971.

Pela lei estadual nº 6769, de 13-05-1976, é criado o distritos de Campestrinho e anexado ao município de Andradas. Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 3 distritos: Andradas, Campestrinho e Gramínea. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.